Moto GP de Macau, Britânico Hegarty morre aos 31 anos em decorrência de grave acidente

O GP de Macau ( Macau é uma das regiões administrativas especiais da República Popular da China desde 20 de dezembro de 1999)  de moto terminou de maneira trágica. O britânico Daniel Hegarty sofreu um acidente neste sábado (18) e não resistiu às lesões.

O piloto da Topgun Honda caiu na Fisherman na sexta volta da corrida, bateu nas barreiras de proteção e chegou até mesmo a perder o capacete. A prova foi imediatamente interrompida em bandeira vermelha e, por conta da gravidade do acidente, não foi mais reiniciada.

Hegarty, de 31 anos, foi socorrido e levado ao hospital, mas a organização da prova anunciou em um comunicado que o britânico faleceu no caminho.

“A família e o time foram contatados, e o Comitê vai garantir que toda assistência seja estendida a eles”, diz o comunicado. “O Comitê do GP de Macau estende suas mais profundas condolências à família e aos amigos de Daniel”.

Natural de Nottingham, Hegarty participava do GP de Macau pela segunda vez, tendo sido 16º colocado na edição do ano passado. O britânico também competia de forma regular no TT da Ilha de Man, participando nas categorias Supersport e Superbike desde 2011.

Hegarty é o primeiro piloto a perder a vida em Macau desde o acidente fatal do português Luis Carreira, na classificação da prova de 2012.

Com o encerramento da corrida, a vitória da ficou com Gleen Irwin, com o resultado da prova validado na quinta volta.

Anúncios

F1 GP do Brasil, Vettel vence e Hamilton dá show em Interlagos

gp-do-brasil-pc3b3dio-vettel-1-121117.jpg

Pela primeira vez na história da Fórmula 1, dois tetracampeões competiram um contra o outro na pista. O palco não poderia ser melhor, o templo sagrado de Interlagos, onde Sebastian Vettel e Lewis Hamilton mostraram porque são os dois melhores pilotos da atualidade. Arrojado na largada, o alemão da Ferrari partiu para cima do pole Valtteri Bottas, e colocou por dentro na entrada do “S do Senna” para tomar a ponta.

gp-do-brasil-pc3b3dio-2-121117.jpg

Daí em diante, Vettel só perdeu a liderança para Hamilton, antes que o campeão de 2017 fizesse sua primeira parada. Depois de reassumir o primeiro lugar, o ferrarista rumou para a quinta vitória na temporada, 47ª na carreira.

gp-do-brasil-pc3b3dio-1-121117.jpg

Saindo da última colocação, o britânico da Mercedes deu um verdadeiro show no asfalto quente de Interlagos. Em uma sequência de grandes ultrapassagens, Lewis chegou a assumir a liderança ainda na primeira metade da corrida, quando os ponteiros foram aos boxes. Parando na volta 43, o atual campeão colocou pneus supermacios e voltou à pista em quinto, atrás de Max Verstappen. Não demorou muito para que ele superasse o holandês, em ultrapassagem no final da reta oposta, com direito a comemoração em alto e bom som nas arquibancadas. Hamilton ainda teve fôlego para chegar em Kimi Raikkonen, mas não conseguiu vencer o finlandês, terminando em quarto.

Corrida - Interlagos - Brasil (Foto: Reprodução/Twitter)

Bottas fechou a prova na segunda colocação, seguido do compatriota da Ferrari. Em seu último GP do Brasil na carreira, Felipe Massa fez uma grande corrida. Repetindo o hábito de largar bem, o brasileiro saiu de nono para sexto ainda na primeira volta. Após safety car, fruto de uma batida envolvendo uma série de carros, o piloto da Williams #19 partiu para cima de Fernando Alonso, executando bela ultrapassagem sobre o bicampeão mundial. No final, Massa acabou superado por Hamilton e Daniel Ricciardo, terminando em sétimo.

Assista aos melhores momentos da corrida  A Rede Globo TV

Massa em seu último GP em Interlagos  A Rede Globo TV

Lewis Hamilton A Rede Globo TV

GloboEsporte

F1 GP do México, Verstappen vence com Hamilton em 9º garantindo o quarto título na F1

É tetra, é tetra! Hamilton chega em 9º no México e garante o quarto título na F1

Não foi do jeito que ele queria. No sábado, Lewis Hamilton deixou bem claro que gostaria de conquistar o tetracampeonato na Fórmula 1 vencendo o GP do México. Largando na terceira colocação, o inglês partiu para cima do pole Sebastian Vettel, mas acabou tomando um toque do piloto da Ferrari. Com isso, os dois tiveram que ir ao box, voltando à pista no final do grid. O alemão ainda conseguiu fazer uma prova de recuperação, recebendo a quadriculada em quarto, porém não foi o suficiente para levar a decisão do título ao Brasil. Mesmo em nono, o britânico garantiu o título mundial, visto que encerrou a prova mexicana com 56 pontos de vantagem na liderança do campeonato.

1º Max Verstappen, 2º Valtteri Bottas, 3º Kimi Raikkonen (Foto: Getty Images)

Max Verstappen, que largou em segundo, mostrou a agressividade costumeira para tomar a ponta da corrida logo na primeira curva, após dar um “chega pra lá” em Vettel. Daí em diante foi um verdadeiro passeio do holandês, que abriu larga vantagem para Valtteri Bottas, recebendo a bandeirada com 19s678 de diferença para o finlandês da Mercedes. Foi a segunda vitória do holandês na temporada, terceira na carreira. Kimi Raikkonen fechou o pódio, seguido do companheiro de equipe Sebastian Vettel (4º), Esteban Ocon (5º), Lance Stroll (6º) e Sergio Pérez (7º). Kevin Magnussen (8º), Lewis Hamilton (9º) e Fernando Alonso (10º) fecharam o Top 10. Felipe Massa terminou em 11º com a Williams.

HAMILTON: “Wow! A big thank you to everyone who came out to support today” ( “Uau! Um muito obrigado para todos que vieram apoiar hoje.”)

A volta rápida de Bolt com Hamilton de dentro do carro A Rede Globo TV

Chegada do GP do México A Rede Globo TV

A Festa de Lewis A Rede Globo TV

Entrega dos prêmios A Rede Globo TV

Corrida - Cidade do México - México (Foto: Reprodução/Twitter)

GloboEsporte F1

Carlos Santana, Power Of Peace

Um dos grandes magos da guitarra elétrica completou 70 anos de idade. É o mestre mexicano Carlos Santana. O roqueiro latino celebra a data às vésperas de lançar um novo e histórico trabalho. No próximo dia 28, chegará às lojas físicas e virtuais do mundo todo Power Of Peace, álbum gravado por ele em parceria com sua mulher, a baterista Cindy Blackman Santana, e o seminal grupo (hoje um duo) The Isley Brothers.

Resultado de imagem para power of peace santana

Gravado em 2016 durante aproximadamente quatro dias, Power Of Peace ( O Poder da Paz) traz como protagonistas Santana e sua guitarra mágica, sua talentosa esposa na bateria, percussão e vocais, o sublime Ronald Isley nos vocais e o incrível Ernie Isley na guitarra, além de outros músicos de apoio. Também fazem participações especiais nos vocais as esposas dos irmãos, Kandy Johnson (de Ronald) e Tracy (de Ernie). O clima foi de muita paz e emotividade.

O repertório é composto por 13 faixas, sendo uma inédita (I Remember, de Cindy) e 12 releituras de clássicos dos repertórios de Stevie Wonder (Higher Ground), Billie Holiday (God Bless The Child), Muddy Waters (I Just Want To Make Love To You), Marvin Gaye (Mercy Mercy Me-The Ecology) Burt Bacharach (What The World Needs Now), Curtis Mayfield (Gypsy Woman) e dos grupos Swamp Dogg (Total Destruction Of Your Mind) e Chambers Brothers (Are You Ready e Love Peace Happiness). Veja um rápido making of do álbum:

Santana se tornou conhecido mundialmente ao montar o grupo que batizou com seu sobrenome na segunda metade dos anos 60. Sua participação no Festival de Woodstock foi o cartão de visitas para o planeta música, com uma apresentação de Soul Sacrifice que seria eternizada no filme e na respectiva trilha sonora que registrou esse evento marcante para a história do rock. Seus três primeiros álbuns são grandes momentos do rock latino, reverenciados e copiados até hoje por inúmeros músicos. Leia sobre o álbum Santana 3 (1971) aqui.

Após a separação da formação clássica de sua banda original, que voltou a gravar junta em 2016 (leia mais sobre esse retorno aqui), Santana gravou com outras formações de sua banda e com parceiros diversos, além de se envolver com filosofias orientais e ser sempre um defensor ativo e sincero da paz e de causas humanitárias.

Em 1999, quando muitos o encaravam como um nome ligado ao passado, lançou o espetacular álbum Supernatural, o mais vendido de sua carreira, que o trouxe com tudo de volta ao topo das paradas de sucesso mundiais, de onde não mais saiu, para a nossa felicidade.

Sou fã desse cara desde que ouvi em 1971 um compacto duplo contendo as músicas Batuka (para mim, a melhor instrumental da história do rock), Everything’s Coming Our Way e Guajira, todas incluídas no seminal Santana 3. Sou fã dele desde então, e consegui seu autógrafo em 1991, durante o Rock in Rio 2, no qual ele fez dois ótimos shows. Gênio e também ídolo do meu saudoso irmão Victor.

 Fabian Chacur