F1 GP do Canadá, Hamilton mantém o domínio e vence a quinta no ano após punição a Vettel

GP do Canadá: Hamilton mantém o domínio e vence a quinta no ano após punição polêmica a Vettel

Sebastian Vettel foi ao limite para tentar segurar a liderança do GP do Canadá. Mas, no fim, não suportou a pressão de Lewis Hamilton. Ao cometer um erro na freada da curva 4, o alemão forçou a volta à pista, bloqueando a ultrapassagem do rival. Acabou punido em cinco segundos e abriu o caminho para que o inglês da Mercedes vencesse o GP do Canadá neste domingo. O piloto da Ferrari precisou se contentar com o segundo lugar em Montreal – e não ficou nada feliz com isso. Foi a quinta vitória de Hamilton na temporada e a 78ª na carreira do pentacampeão mundial.

A briga pela vitória foi a única a empolgar no Circuito Gilles Villeneuve. Sem ser ameaçado, Charles Leclerc completou o pódio em terceiro lugar. Em quarto, Valtteri Bottas até conseguiu ganhar duas posições com sua Mercedes em relação à largada, mas sem muito brilho. Em outro duelo particular, Max Verstappen, da RBR, levou a melhor sobre o ex-companheiro Daniel Ricciardo, da Renault, e fechou em quinto lugar.

Assista a reação do Vettel após a punição    A Rede Globo TV

A punição para Vettel no GP do Canadá foi justa?

Depois de uma boa largada, Vettel viu Hamilton voltar muito mais rápido à pista após a parada nos boxes. O piloto alemão tentou tudo o que pôde para suportar a pressão. Um erro na curva 4, porém, deixou a possível vitória mais distante. A partir dali, Hamilton esperou pela decisão dos comissários e passou a poupar o carro. Quando a punição ao rival foi anunciada, viu o caminho livre para cruzar a linha de chegada em segundo, mas ainda assim garantir a vitória.

Assista aos melhores momentos da prova  A Rede Globo TV

Resultado final do GP do Canadá — Foto: Reprodução

GloboEsporteF1

Anúncios

Wi-Fi grátis do Google chega ao Brasil; conheça o Google Station

Google Station chega ao Brasil com Wi-Fi grátis em áreas de São Paulo — Foto: Nicolly Vimercate/TechTudo

O Google Station, Wi-Fi grátis do Google, chegou ao Brasil. O país é o oitavo no mundo a receber o projeto, que tem o objetivo de expandir a conexão à Internet em países emergentes. Mais de 80 pontos já foram implementados em São Paulo e, até 2020, outras cidades devem receber a estação de acesso. Para usar o Wi-Fi não é preciso instalar aplicativo, ou saber uma senha, basta ter um celular para receber um código de verificação. A novidade foi anunciada nesta quinta-feira (05/6/2019), no Google for Brasil, em São Paulo.

A ideia do Station é levar Internet rápida para quem está offline ou tem conexão ruim e “tornar as informações universalmente acessíveis”, como explicou o presidente do Google Brasil Fabio Coelho. A promessa do executivo é de que será possível “assistir a vídeos em alta definição sem interrupção”, por exemplo.

Além do Brasil, há ainda mais de mil pontos do Google Station estão espalhados por outros sete países: Índia, Indonésia, México, Tailândia, Nigéria, Filipinas e Vietnã.

Como se conectar

Para se conectar, basta selecionar a rede “Google Station”, clicar em “Iniciar” e fornecer o seu número de telefone, com DDD. Um código de verificação será enviado por SMS e você deve inserir os quatro dígitos no campo em branco. Toque em “Concluir” e já pode usar a Internet.

Busque por Google Station no Wi-Fi e insira número do celular — Foto: Divulgação/Google

Onde achar o Wi-Fi grátis do Google

Atualmente, mais de 80 pontos de Internet estão funcionando em espaços públicos de São Paulo. Parques, praças e estações de trem da CPTM estão na lista. Entre eles:

  • Ibirapuera
  • Chico Mendes
  • Largo da Concórdia
  • Praça Silva Teles
  • Estação Barra Funda
  • Estação Pinheiros

Todos os pontos do Brasil podem ser visto no Mapa do Google Station, Link  station.google.com/intl/pt_br/#map

Google fornece mapa dos pontos com Wi-Fi grátis — Foto: Divulgação/Google

Do Site TechTudo

Nova Previdência, tire suas dúvidas

Quem já reúne as condições de se aposentar e quem cumprir os critérios de aposentadoria até um dia antes das novas regras serem publicadas não será afetado pelas mudanças previstas na Nova Previdência.

O trabalhador manterá o direito de dar entrada no seu requerimento de aposentadoria pelos critérios que estão valendo hoje. O direito adquirido vale independentemente de o trabalhador ingressar com o pedido de aposentadoria antes ou depois das mudanças nas regras da Previdência.

Pelas normas atuais, os homens devem contribuir por 35 anos para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), e as mulheres, por 30 anos para se aposentar por tempo de contribuição. Para obter o benefício por idade, é preciso ter atingido 65 anos (homens) e 60 anos (mulheres), com 15 anos de contribuição com a Previdência.

Tire suas dúvidas aqui

Nova Previdência dúvidas

Pode ser mais vantajoso esperar para se aposentar pelas novas regras?

Para o secretário de Previdência da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Leonardo Rolim, o trabalhador pode esperar a reforma entrar em vigor para somente então decidir como quer se aposentar. “Pode ser que a nova regra, se ele esperar mais um tempo, seja mais vantajosa do que aquela em que ele obteve o direito nas regras atuais”, diz Rolim. “Hoje, dependendo da idade, a pessoa terá uma taxa de reposição [indicador usado no cálculo do benefício] menor que na nova regra. Então pode ser mais interessante para esse segurado ficar mais alguns anos e aposentar-se com um benefício maior”, explica o secretário.

O que muda para professores da educação básica?

A proposta da Nova Previdência prevê a continuidade de regras especiais para a aposentadoria de professores da educação básica. O texto enviado ao Congresso indica que professores de ambos os sexos poderão se aposentar a partir dos 60 anos. As idades mínimas são diferentes daquelas previstas na regra geral para trabalhadores privados (urbanos) e servidores públicos: 62 anos (mulheres) e 65 anos (homens).

Já o tempo de contribuição será igual para ambos os sexos: 30 anos. Pelo sistema previdenciário atual, mulheres contribuem por 25 anos e homens, por 30 anos. “Nós reconhecemos a importância dos professores para o país. Em função disso, continuamos dando um tratamento diferenciado a eles”, destaca o secretário de Previdência do Ministério da Economia, Leonardo Rolim.

O projeto prevê ainda que os professores deverão comprovar o tempo efetivo de exercício nas funções de magistério exclusivamente na educação infantil, no ensino fundamental e no ensino médio, seja na rede particular ou na pública. No caso dos professores da rede pública vinculados a regimes próprios de previdência, permanecerão as exigências de ao menos cinco anos no último cargo e de dez anos no serviço público.

Como será o período de transição?

As novas regras valerão para quem solicitar a aposentadoria após a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição 6/2019. Para quem já está no mercado de trabalho, haverá regras de transição.

No Regime Geral de Previdência Social (RGPS), que é operado pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), os professores da educação básica poderão optar pelo sistema de pontos, que é a soma da idade e do tempo de contribuição, começando com 81 pontos para mulheres e 91 para homens, em 2019. A partir de então, esse número passará a subir um ponto a cada ano até atingir 95 pontos para as professoras, em 2033, e 100 pontos para os professores, em 2028

Também será possível solicitar a aposentadoria pela regra de transição com base na idade mínima combinada com o tempo de contribuição.

Nas redes públicas vinculadas a regimes próprios, os professores que ingressaram na carreira até 31 de dezembro de 2003 terão direito à integralidade, caso se aposentem aos 60 anos. A integralidade garante que o valor da aposentadoria seja igual ao do último salário.

Nova Previdência simulador-de-aliquotas

Creedence Clearwater Revival, você já viu a chuva?


Alguém me disse há muito tempo
Há uma calma antes da tempestade
Eu sei; Tem vindo há algum tempo.
Quando acaba, eles dizem
Vai chover um dia de sol
Eu sei; Brilhando como água.

Eu quero saber,
Você já viu a chuva?
Eu quero saber,
Você já viu a chuva?
Descer em um dia ensolarado?

Ontem e dias antes
O sol está frio e a chuva é difícil
Eu sei; Foi assim por todo o meu tempo.
Até lá, vai
Através do círculo, rápido e lento,
Eu sei; Não pode parar, eu me pergunto.

sim!